BOVESPA-Commodities ditam nova queda e perda no mês chega a 10%

terça-feira, 9 de setembro de 2008 11:58 BRT
 

SÃO PAULO, 9 de setembro (Reuters) - A Bolsa de Valores de São Paulo operava no vermelho nesta terça-feira, arrastada novamente pelas ações ligadas a commodities.

Às 11h50, o Ibovespa .BVSP declinava 1,7 por cento, aos 49.839 pontos. O indicador não caía dos 50 mil pontos desde agosto do ano passado e, com isso, a queda acumulada neste mês já supera 10 por cento.

O giro financeiro na bolsa era de 1,4 bilhão de reais.

Uma nova rodada de desvalorização dos preços de matérias-primas, como petróleo e metais, conduzia as ações das blue chips Petrobras e Vale para baixo, a despeito de notícias positivas envolvendo empresas domésticas de mineração e siderurgia.

Os papéis preferenciais da Vale (VALE5.SA: Cotações), os mais negociados da sessão, caíam 2,3 por cento, para 34,05 reais.

Essas ações chegaram a esboçar reação depois de a companhia ter admitido que está negociando com clientes na Ásia um reajuste de preços de minério. Logo em seguida, no entanto, retomaram a tendência negativa ainda com mais força.

Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3.SA: Cotações) recuava 4,4 por cento, a 44,50 reais, um dia depois de a agência Moody's ter elevado o rating de crédito da fabricante de aço.

"A notícia confirma nossa visão e perspectivas positivas, tanto para a empresa quanto para o setor", escreveu André Segadilha, gerente de análise da Prosper Corretora.

A ação preferencial da Petrobras (PETR4.SA: Cotações) perdia 2,8 por cento, a 29,42 reais, acompanhando a desvalorização do preço do barril de petróleo CLc1 para a faixa de 104 dólares.   Continuação...