Alckmistas ensaiam reação e recorrem a foto antiga de Serra

terça-feira, 9 de setembro de 2008 16:22 BRT
 

Por Carmen Munari

SÃO PAULO (Reuters) - Tucanos tentam reagir para turbinar a candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à prefeitura de São Paulo, em queda na preferência do eleitor e em franca disputa com o prefeito e candidato Gilberto Kassab (DEM) para ir ao segundo turno.

A idéia do movimento é mobilizar militantes do partido em torno do lema "Só depende de nós". Estão programados encontros, panfletagens, carreatas e visitas a residências nos bairros.

Segundo disse um integrante do grupo, o trabalho será realizado de forma gratuita, uma forma de contrabalançar os recentes problemas com a arrecadação de recursos e para contornar os militantes pagos das campanhas de Kassab e de Marta Suplicy (PT), a líder das pesquisas.

Na primeira reunião das cinco previstas, ocorrida na segunda-feira à noite, foi mostrado um panfleto com uma foto de Alckmin e do governador José Serra (PSDB) juntos, que traz também uma lista de realizações do partido à frente do governo do Estado, desde 1995.

A imagem, no entanto, é de arquivo, e apresenta os dois tucanos na campanha de 2006, quando Alckmin concorreu à Presidência e Serra, ao governo paulista. Até agora, Serra não participou de um único evento público de campanha junto a Alckmin, enquanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve com a candidata Marta Suplicy (PT), líder das pesquisas, em comício na zona leste há dez dias.

Em e-mails, obtidos pela reportagem, o grupo alckmista prega a ação da militância contra a "máquina eleitoral de nossos adversários", em referência indireta a Kassab, que lidera uma gestão repleta de tucanos herdados da administração de Serra. Ele deixou o posto para seu vice em 2006 rumo ao governo paulista.

Um dos principais argumentos utilizado pelo grupo para atrair integrantes do partido é o resultado da eleição presidencial, quando os paulistanos preferiram Alckmin nos dois turnos, ao invés de Lula, que venceu a disputa. "Vamos derrotar novamente o PT", diz o texto.

Alckmin, com 22 por cento de intenção de voto, e Kassab, com 18 por cento, estão tecnicamente empatados na mais recente pesquisa Datafolha, enquanto Marta aparece isolada com 40 por cento. No início de julho, o tucano tinha 31 e Kassab, 13.

O movimento tucano é paralelo à coordenação da campanha de Alckmin e tem à frente o deputado federal Antonio Carlos Mendes Thame, presidente do PSDB estadual, e o deputado estadual Vaz de Lima, presidente da Assembléia Legislativa paulista. O grupo repete atuação realizada este ano favorável à candidatura de Alckmin e contrária ao apoio do partido a Kassab, como pregava Serra.

O primeiro encontro de campanha entre Alckmin e Serra está previsto para quarta-feira, quando participarão de um jantar na sede social do Jockey Club em evento fechado e organizado pelo PSDB para angariar recursos financeiros para a campanha.