PANORAMA2-Petróleo cede e dá respiro ao mercado internacional

segunda-feira, 9 de junho de 2008 17:32 BRT
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 9 de junho (Reuters) - O recuo do petróleo após o recorde de sexta-feira permitiu que os mercados em Wall Street respirassem no começo desta semana, com leve recuperação dos índices Dow Jones e Standard & Poor's 500.

O barril da commodity fechou em queda de mais de 4 dólares em Nova York. No Brasil, o principal reflexo foi sentido pelas ações da Petrobras (PETR4.SA: Cotações), que caíram 0,23 por cento e ajudaram a puxar para baixo a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Outro fator positivo nos Estados Unidos foi a surpresa com as vendas pendentes de moradias usadas. Em abril, as vendas subiram inesperadamente para o maior nível em seis meses, dando algum alívio para o mercado imobiliário em crise.

Esse resultado também favoreceu as apostas em uma alta do juro pelo Federal Reserve. À tarde, o mercado de juros futuros precificava um aumento de 0,50 ponto percentual até o final do ano --o que levaria a taxa básica para 2,5 por cento.

Alguns diretores do Fed sinalizaram nesse sentido e ajudaram a frear o otimismo do mercado de ações no meio do dia. Richard Fisher, do Fed de Dallas, e Timothy Geithner, do Fed de Nova York, ressaltaram em momentos separados a preocupação do banco central norte-americano com a inflação.

Outro ponto que brecou o ânimo do mercado foi a fraqueza de alguns bancos. O prejuízo do Lehman Brothers LEH.N --com direito a um plano para levantar 6 bilhões de dólares em capital-- foi o destaque de uma segunda-feira ruim para o setor financeiro, com queda das ações de várias instituições.

No Brasil, os juros futuros também foram pressionados pelos índices de inflação e o aumento das expectativas do mercado. O IGP-DI, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 1,88 por cento em maio e superou a mediana das expectativas.

Já o dólar manteve a tendência de queda em meio ao fluxo de recursos para o país.   Continuação...