Marcos Valério é condenado por falsidade ideológica em Minas

segunda-feira, 9 de junho de 2008 19:49 BRT
 

SÃO PAULO, 9 de junho (Reuters) - O empresário Marcos Valério de Souza, acusado de ser intermediário no esquema do mensalão, em 2005, foi condenado nesta segunda-feira a um ano de prisão em regime aberto por crime de falsidade ideológica, mas a pena será substituída por multa e prestação de serviço comunitário, informou o site do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

A sentença do juiz Walter Luiz de Melo, da quarta Vara Criminal de Belo Horizonte, não tem relação com o suposto esquema de compra de votos para apoio ao governo, denunciado em 2005, que provocou enorme crise no Palácio do Planalto.

A decisão cita a denúncia do Ministério Público de que Marcos Valério e outras sete pessoas teriam emitido notas fiscais para uma empresa de prestação de serviços, com o objetivo de simular trabalhos que nunca foram realizados pela companhia de comunicação do empresário entre 2002 e novembro de 2003.

A defesa de Marcos Valério afirmou que a empresa recolhia impostos sob a forma de lucro presumido --com base no percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro. Isso demonstraria que não havia interesse de Marcos Valério de cometer fraude.

O empresário ainda pode recorrer da decisão.

(Reportagem de Maurício Savarese; Edição de Mair Pena Neto)