PT ameaça intervir em Minas se partido aprovar aliança com PSDB

segunda-feira, 9 de junho de 2008 20:43 BRT
 

Por Marcelo Portela

BELO HORIZONTE (Reuters) - Integrantes da direção nacional do PT afirmaram que haverá intervenção no diretório da capital mineira caso prevaleça, na convenção do partido, no sábado, a tese da aliança com o PSDB nas eleições municipais em Belo Horizonte.

A coligação é apoiada pelo prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), e pelo governador de Minas Gerais, Aécio Neves (MG), que lançaram a candidatura de Márcio Lacerda, do PSB.

Nesta segunda-feira, representantes da direção nacional petista se reuniram em Belo Horizonte para traçar uma estratégia de ação e elevaram o tom do discurso.

"Como é possível o PT se declarar oposição ao governo de Minas Gerais e apoiar a chapa encabeçada pelo candidato e ex-secretário do governador Aécio Neves", indagou Marco Sokol, do diretório nacional, referindo-se a Lacerda, que deixou o cargo de secretário do Desenvolvimento Econômico para concorrer à prefeitura.

"Se o Pimentel quiser se coligar com Aécio e abandonar o partido pensando no Palácio da Liberdade, em 2010, pode ficar à vontade", disse Sokol a jornalistas antes da reunião.

Para Sokol, os interesses eleitorais de Aécio Neves, possível candidato à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2010, inviabilizam qualquer possibilidade de aliança nas eleições municipais.

"O Pimentel é um produto do PT e o PT é um partido nacional, não a soma de interesse locais. E a posição nacional é contrária (à aliança)", afirmou Sokol.

O dirigente petista disse que uma das estratégias a ser definida na reunião desta segunda-feira é a possibilidade do lançamento de candidatura própria do PT, sem nenhuma ligação com PSDB ou PPS, como determinou o diretório nacional.

"Essa é uma decisão do diretório municipal, mas há vários nomes de peso para concorrer", comentou.

Os possíveis candidatos seriam o ex-deputado estadual Rogério Correia -- que participa da reunião -, o ex-secretário municipal Murilo Valadares ou ainda o deputado estadual André Quintão.