9 de Novembro de 2007 / às 09:57 / em 10 anos

Oferta de ações de até R$5 bi da BM&F ocorre este mês

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO (Reuters) - Uma das operações mais esperadas do ano pelo mercado de capitais acontece no fim de novembro. A quarta maior bolsa de mercadorias e futuros do mundo, a BM&F, pretende estrear suas ações no dia 30, em uma oferta de cerca de 5 bilhões de reais.

Os acionistas pretendem vender 260.160.736 ações ordinárias, a um preço entre 14,50 e 16,50 reais, segundo estimativa dos coordenadores divulgadas em prospecto preliminar nesta sexta-feira. O lote inicial ainda pode ser elevado em até 39.024.120 ações.

A bolsa aproveita a condição extremamente positiva do mercado acionário nacional, que registra fortes ganhos há quase cinco anos e está com demanda forte por novas ações. As empresas brasileiras já captaram este ano mais de 60 bilhões de reais com ofertas de ações, cerca do dobro do ano passado.

A maior da história foi a da Bovespa Holding, que levantou 6,6 bilhões de reais em outubro. Os papéis dispararam mais de 50 por cento no primeiro dia de negociação.

“A BM&F é melhor e maior que a Bovespa. Ela também é mais promissora. Ela tem mais volume, é mais importante, mais rentável e tem mais coisas para ampliar”, avaliou Luiz Gustavo Medina, sócio da m2 Investimentos.

“No lançamento, todo mundo que entrou na Bovespa vai entrar na BM&F e todo mundo que não entrou na Bovespa vai entrar na BM&F”.

O período de reserva vai de 19 a 27 de novembro e o valor mínimo para investidores do varejo é 5 mil reais. Os papéis serão negociados no Novo Mercado sob o código “BMEF3”.

O lucro da BM&F subiu 55 por cento nos nove primeiros meses deste ano, para 222 milhões de reais. Em setembro, o volume financeiro negociado atingiu 2,2 trilhões de reais, cerca de 10 por cento a mais que em setembro do ano passado.

O número médio de contratos por dia subiu quase 62 por cento nos 9 meses de 2007 frente ao mesmo período de 2006, para 1,79 milhão.

Nenhum dos acionistas possui participação acima de 5 por cento. O Bradesco tem 4,9 por cento e está entre os maiores. Os principais vendedores na oferta serão: Miramar Holdings, Santander e Marcos de Souza Barros, da corretora Souza Barros.

CONSOLIDAÇÃO

O IPO também ocorre em uma fase de consolidação das bolsas de valores no mundo.

O NYSE Group, que controla a bolsa de valores de Nova York, comprou a operadora européia de bolsas Euronext por 14,6 bilhões de dólares em abril. A bolsa de valores de Londres comprou a rival Borsa Italiana e a Nasdaq fechou uma série de acordos recentemente, adquirindo as bolsas da Filadélfia e de Boston e a operadora nórdica OMX.

Em setembro, a empresa de private equity General Atlantic fez acordo para comprar 10 por cento do capital da BM&F, pelo preço de até 1 bilhão de reais. No mês passado, a BM&F também assinou acordo para vender 10 por cento para o CME Group, controlador da maior bolsa de derivativos do mundo, pela quantia de 1,3 bilhão de reais.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below