Por Jeff Franks

terça-feira, 9 de setembro de 2008 16:18 BRT
 

HAVANA (Reuters) - O furacão Ike derrubou construções mal conservadas de Havana e atravessava na terça-feira o oeste de Cuba, região que ainda se recupera dos danos provocados pelo violento Gustav.

O Ike realizava assim sua segunda passagem pelo território cubano seguindo um caminho que pode levá-lo para longe da área principal de extração de petróleo do golfo do México.

Chuvas intensas atingiram a capital cubana enquanto o furacão, no limite da Categoria 1 da escala Saffir-Simpson (de cinco níveis), com ventos de 120 quilômetros por hora, locomovia-se pela província de Pinar del Rio (ponta oeste da ilha).

Havana, uma cidade de 2 milhões de habitantes localizada na costa noroeste de Cuba, possui muitas habitações bonitas mas mal conservadas, sujeitas a desmoronar sob condições meteorológicas adversas.

Autoridades disseram que 16 construções caíram na terça-feira, mas não houve registro de feridos. Cerca de 250 mil pessoas foram retiradas de áreas de baixa altitude e de habitações frágeis antes da chegada do Ike.

"Parece que Havana foi invadida por um exército de fantasmas", afirmou Maria Valdez, moradora da cidade.

O caminho que o Ike deve seguir o levaria para a costa norte-americana, na altura do Texas, perto da fronteira com o México, região à qual chegaria no sábado -- ficando assim longe da área que concentra as 4.000 plataformas marítimas responsáveis por produzir 25 por cento do petróleo e 15 por cento do gás natural norte-americanos.

Os preços futuros do petróleo diminuíram mais de 2 dólares, ficando abaixo dos 105 dólares, quando o Ike mudou de curso. Mas as empresas do setor continuam a fazer preparativos para enfrentar a tempestade.

A BP Plc afirmou estar paralisando todas as suas operações no golfo e retirando os funcionários das plataformas.   Continuação...