REEDIÇÃO-Comissão vê menor expansão da zona do euro em 2008/09

sexta-feira, 9 de novembro de 2007 11:44 BRST
 

(Republica matéria para incluir data. Texto segue sem alterações)

Por Jan Strupczewski

BRUXELAS, 9 de novembro (Reuters) - O crescimento econômico da zona do euro deve ser um pouco melhor do que o esperado neste ano graças ao terceiro trimestre robusto, mas a turbulência no mercado financeiro vai desacelerar a atividade em 2008 e 2009, afirmou a Comissão Européia nesta sexta-feira.

Na previsão semestral sobre a economia, a Comissão elevou a projeção de crescimento nos 13 países que usam o euro de 2,5 para 2,6 por cento neste ano, contra crescimento de 2,8 por cento em 2006.

No próximo ano, o crescimento da zona do euro deve desacelerar para 2,2 por cento. Em 2009, para 2,1 por cento.

"Isso vem após o impacto da turbulência no mercado financeiro que trouxe condições de crédito mais apertadas e aumento da incerteza", disse a Comissão.

Os principais motores do crescimento serão a demanda doméstica e o consumo pessoal, graças à queda do desemprego, prevista para 7,1 por cento em 2008. Neste ano, a Comissão espera que a taxa de desemprego fique em 7,3 por cento.

A Comissão afirmou que a inflação na zona do euro, que o Banco Central Europeu (BCE) tenta manter abaixo de 2,0 por cento, vai ficar em 2,0 por cento em 2007, subir para 2,1 por cento em 2008 e recuar novamente para 2 por cento em 2009.

A Comissão afirmou, no entanto, que os preços ao consumidor devem crescer 2,4 por cento no quarto trimestre deste ano, caindo em direção a 2,0 por cento apenas no terceiro trimestre de 2008.

Quanto às taxas de juros, a Comissão previu que as de curto e longo prazo ficarão na média em 4,3 por cento em 2007 e em 4,4 por cento em 2008. Em 2009, as taxas de curto prazo devem ficar em 4,3 por cento, e as de longo prazo em 4,5 por cento.