Economia informal contribuiu com 8,4% do PIB de 2005, diz IBGE

sexta-feira, 9 de novembro de 2007 13:59 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 9 de novembro (Reuters) - A economia informal representou 8,4 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2005, que somou 2,147 trilhões de reais, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

Segundo o instituto, a informalidade contribuiu com aproximadamente 180 bilhões de reais para o PIB daquele ano. Se forem descontados impostos e valores adicionados, essa participação sobe para 10,1 por cento.

"As famílias (o consumo familiar) representam 22 por cento da economia brasileira e dentro desse grupo, 10 por cento classificamos como informal", disse o coordenador das contas nacionais do IBGE, Roberto Olinto.

De acordo com o instituto, 58,8 por cento dos trabalhadores brasileiros são classificados como informais por não terem carteira de trabalho assinada, serem autônomos ou trabalharem por conta própria.

O economista destacou, entretanto, que o peso da economia informal pode ser maior do que apontam as estatísticas, uma vez que um trabalhador informal pode também prestar serviços para uma empresa formal.

"Você consegue identificar o que é a produção formal e o que é emprego informal. A lacuna que existe é saber qual é a parcela dessa produção formal que está sendo gerada por trabalhadores informais".

Olinto acrescentou que o patamar de informalidade no Brasil é semelhante ao de outros países da América do Sul e da América Latina, mas bem superior ao observado nas economias desenvolvidas.