Oposição do México apóia plano energético do governo

quarta-feira, 9 de abril de 2008 18:24 BRT
 

Por Cyntia Barrera Diaz

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O plano para reformar o setor de energia do México, apresentado pelo governo do presidente Felipe Calderón ao Congresso, na terça-feira, foi bem recebido por um importante partido de oposição mexicano.

O texto poderá atrair empresas estrangeiras para uma busca por novas reservas de petróleo, a fim de resgatar a decadente produção no quinto maior produtor mundial da commodity.

Calderón precisa do apoio do Partido Revolucionário Institucional (PRI) para aprovar a reforma, que tem o objetivo de encontrar mais petróleo em águas profundas do Golfo do México, acabando com o declínio na produção. O PRI aprovou o texto e se ofereceu para trabalhar na resolução de qualquer problema no projeto.

"Eles levaram em consideração uma boa parte das premissas que o PRI no Senado colocou na mesa", disse o senador Manlio Fabio Beltrones à Reuters, afirmando entretanto que ainda é necessário trabalhaar na proposta.

"Vemos insuficiências nela. Isso pode ser resolvido em uma discussão no Senado e em modificações que a proposta precisa para deixá-la mais rica em detalhes", disse ele.

O projeto inclui um novo sistema de contratos de serviços para a Pemex com base em incentivos, mediantes os quais a Pemex recompensaria com um pagamento adicional as empresas contratadas --nacionais ou estrangeiras-- pela eficiência ou trabalho bem realizado.

Entretanto, o projeto deixou de fora controversos contratos de risco, aos quais o PRI era contra, e segundo os quais a Pemex teria que compartilhar suas infra-estrutura com outras empresas.

Calderón quer que o Congresso aprove sua proposta até o final de abril, antes que entre em recesso por meses.