Escassez e leis sobre uso de água afetam mineradoras latinas

quarta-feira, 9 de abril de 2008 17:58 BRT
 

Por Marcelo Teixeira

SANTIAGO (Reuters) - Legislações mais duras sobre o uso da água e a escassez do recurso em algumas regiões estão fazendo com que mineradoras na América Latina desenvolvam tecnologias que permitam uso mais racional, além de buscarem fontes hídricas alternativas com custos mais elevados.

A oferta de água se tornou um obstáculo em muitas regiões de mineração ao redor do mundo e, na América Latina, o Chile é um problema à parte, já que muitas das operações de cobre do maior produtor mundial estão localizadas na zona desértica no norte.

O professor da Universidade do Chile Jacques Wiertz, especialista em recursos hídricos na indústria de mineração, diz que os esforços em pesquisa feitos pelas companhias do setor estão focando em engenharia e soluções técnicas que reduzem o consumo de água nas operações e elevam a reutilização.

"O uso eficiente de água e a gestão responsável dos recursos hídricos estão no centro das atenções por parte das mineradoras", disse Wiertz em entrevista à Reuters.

"E isso é principalmente um problema de custo. Os gastos com operações como desanilização e o tratamento da água para que ela alcance padrões de qualidade exigidos pelas novas regulamentações estão crescendo".

A maior produtora de cobre do mundo, a estatal chilena Codelco, concorda com o especialista.

"Esse é um desafio crescente para a indústria", disse Jose Pablo Arellano, presidente-executivo da empresa.

"Nossos esforços se concentram na eficiência do uso e no tratamento dos efluentes. A Codelco já tem assegurado fornecimento de água para suas operações, mas isso não significa que não devamos colocar toda nossa atenção nessa questão", acrescentou.   Continuação...