ATUALIZA-Mantega: esforço fiscal reduz necessidade de juro alto

segunda-feira, 9 de junho de 2008 18:50 BRT
 

(Texto reescrito com apresentação do ministro da Fazenda e mais comentários do ministro das Relações Institucionais)

BRASÍLIA, 9 de junho (Reuters) - O controle da inflação no Brasil exige apenas uma "ligeira desaceleração" do crescimento, e o aumento do esforço fiscal pelo governo reduz a necessidade de juros mais altos, defendeu o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em reunião ministerial nesta segunda-feira.

Segundo notas da apresentação de Mantega divulgadas por sua assessoria, o ministro destacou no encontro que a alta da inflação é um fenômeno mundial, provocado por um choque de preços de commodities, e que tem impacto maior sobre as economias importadoras de petróleo e alimentos.

"O Brasil demonstra estar bem preparado para choques", afirmou Mantega. "É possível aproveitar o choque de alimentos para aumentar a produção brasileira."

O governo anunciou no final de maio uma elevação de 0,50 ponto percentual na meta de superávit primário do ano, que passou a 4,3 por cento do Produto Interno Bruto.

No início desta tarde, o ministro das Relações Institucionais, José Múcio, afirmou a jornalistas que Mantega teria justificado durante a reunião a recente elevação do juro básico pelo Banco Central, argumentando que "o aumento teria sido necessário para que nós mantivéssemos a inflação e o quadro econômico sob controle".

Segundo Múcio, tanto Mantega quanto o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, enfatizaram aos ministros e ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que o país está no caminho correto.

Em uma segunda entrevista no final da tarde, Múcio minimizou o apoio supostamente dado por Mantega à elevação da Selic.   Continuação...