Investidores temem 3a rodada da crise de crédito

domingo, 9 de março de 2008 16:10 BRT
 

Por Natsuko Waki

LONDRES, 9 de março (Reuters) - O aperto nos mercados abertos, a queda das ações e o dólar vão reforçar a preocupação dos investidores nesta semana, com o aumento da pressão sobre os bancos centrais no que parece ser a terceira onda da crise global de crédito.

Na semana passada, os mercados abertos se tensionaram a um nível que não era visto desde dezembro, quando os problemas de financiamento de final de ano elevaram o custo dos empréstimos de forma generalizada.

Em resposta, o Federal Reserve anunciou na sexta-feira novas medidas para aumentar a liquidez --injetando 200 bilhões de dólares no sistema bancário-- e disse manter contato próximo com outros bancos centrais.

No entanto, o Fed não conseguiu melhorar muito o humor. Os investidores, querendo saber se algum outro plano está sendo preparado para evitar um colapso no mercado financeiro, vão examinar com atenção as palavras de membros de bancos centrais, incluindo o Fed, nesta semana.

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, também tem alguns discursos agendados, incluindo um no encontro de bancos centrais do G10 na cidade suíça da Basiléia, na segunda-feira.

"É mais uma rodada da crise de crédito. Alguns mercados estão ficando piores do que em janeiro. Há o medo de que algo dramático aconteça, e esse medo está se auto-alimentando", disse Jesper Fischer-Nielsen, estrategista de juros do Danske Bank, em Copenhague.

"Os bancos centrais têm mostrado muita disposição para resolver os problemas (no mercado aberto), e eu estou seguro de que vão repetir isso."

Na semana passada, o vice-chairman do Banco Nacional da Suíça, Philipp Hildebrand, alertou que o mundo pode estar em uma nova e mais perigosa fase da crise.   Continuação...