BOVESPA-Índice segue em alta à espera de ata do Fed

terça-feira, 9 de outubro de 2007 14:09 BRT
 

SÃO PAULO, 9 de outubro (Reuters) - A Bolsa de Valores de São Paulo operava em alta no início da tarde desta terça-feira, acompanhando as altas das principais bolsas internacionais com uma perspectiva positiva sobre a ata do Federal Reserve a ser divulgada às 15h (horário de Brasília).

Às 14h07, o índice Bovespa .BVSP apresentava valorização de 1,08 por cento, aos 63.336 pontos, com volume financeiro de 3 bilhões de reais. Mais cedo, a bolsa bateu novo recorde durante as operações, aos 63.508 pontos.

Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones operava em leve alta de 0,11 por cento.

Segundo um operador de uma corretora, que preferiu não ser identificado, a aposta do mercado em relação à ata do Fed é boa por conta dos indicadores econômicos mundiais.

"Provavelmente será mais um comunicado favorável a um novo corte de juro", afirmou o corretor.

Para a corretora Spinelli, a ata "poderá sinalizar mais claramente os próximos passos da política monetária americana. Nesse sentido, um conteúdo que sinalize cortes adicionais nas taxas será bem recebido, pavimentando o caminho para novas altas dos mercados".

Com relação ao leilão de rodovias federais, marcado para as 14h, o corretor afirmou que o mercado estava em compasso de espera.

"Algumas das empresas incluídas no leilão até apresentaram queda agora, mas no geral estão todos aguardando o resultado para tomar alguma medida", declarou a fonte.

O destaque na Bovespa eram as ações da Perdigão PRGA3.SA, em alta de 5,20 por cento, e Sadia SDIA4.SA, com valorização de 3,68 por cento.

A Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frango divulgou nesta terça que as exportações de frango subiram 15 por cento em setembro em relação ao mesmo período do ano passado, com crescimento de 52 por cento na receita relativos ao mesmos período.

As ações da Companhia Vale do Rio Doce (VALE5.SA: Cotações) e Petrobrás (PETR4.SA: Cotações) também impulsionavam o índice Bovespa, com sua valorização de 2,57 por cento e 1,79 por cento respectivamente.