Peso da A.Latina no Santander cresce 20% com ABN, avalia Fitch

terça-feira, 9 de outubro de 2007 19:04 BRT
 

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 9 de outubro (Reuters) - A aquisição do ABN Real pelo Santander elevará o peso dos ativos latino-americanos no banco espanhol em 20 por cento, ajudando-o a avançar nas áreas de varejo e crédito ao consumidor no Brasil, segundo avaliação da agência de classificação de risco Fitch.

"Para o Santander, a aquisição (do ABN Real)... proporcionará a oportunidade de incrementar atividades de banco de varejo e de crédito ao consumidor", avaliou a agência em relatório.

"Qualquer aumento do perfil de risco resultante da incorporação do ABN Real será, em grande parte, contrabalançado pela melhora da sua franquia no Brasil e pela maior presença do grupo na Europa."

Segundo a Fitch, quando os bancos estiverem integrados, a América Latina passará a responder por cerca de 18 por cento do total dos ativos do grupo, frente aos 15 por cento de dezembro de 2006.

Na segunda-feira, o trio de bancos formado por Santander (SAN.MC: Cotações), Fortis FOR.BR e Royal Bank of Scotland (RBS.L: Cotações) informou que obteve apoio de 86 por cento dos acionistas do ABN, abrindo caminho para que o grupo consiga fazer a maior aquisição da história do setor.

A oferta foi de quase 72 bilhões de euros --destes, o Santander ficou com a menor parte, em torno de 20 bilhões de euros.

O negócio fará o banco espanhol pular da sétima posição no ranking brasileiro para a terceira, atrás somente de Banco do Brasil (BBAS3.SA: Cotações) e Bradesco BBDC4.SA. O Itaú ITAU4.SA cairá para a quarta colocação.

Procurados, os três bancos preferiram não comentar, mas o presidente do Bradesco, maior banco privado do país, Márcio Cypriano, afirmou na semana passada que não acreditava que o negócio aumentaria a competição no país, uma vez que Santander e ABN já atuam no Brasil.   Continuação...