Ordonez, do BCE, não descarta mais cortes coordenados de juros

quinta-feira, 9 de outubro de 2008 11:46 BRT
 

MADRI, 9 de outubro (Reuters) - O membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE) Miguel Angel Fernandez Ordonez disse nesta quinta-feira que não descarta possibilidade de cortes coordenados futuros de taxas de juro por bancos centrais, mas acrescentou que eles não são prováveis no curto prazo.

"A curto prazo, isso parece absurdo, mas eu não excluo nenhuma possibilidade. Eu acredito que a ação de ontem foi muito importante", disse Ordonez quando perguntado se prevê mais cortes coordenados de taxas de juro.

Ordonez acrescentou que foi unânime a decisão de corte de meio ponto da taxa de juro do BCE, para 3,75 por cento, realizado em uma ação conjunta com o Federal Reserve e outros importantes bancos centrais na quarta-feira.

"Eu acredito que a decisão de ontem foi muito importante e eu acredito que ajudará a restaurar a confiança", disse Ordonez. "Isso permite que nós olhemos de forma devida o que nós devemos fazer. Até o momento, nenhuma decisão foi tomada."

Durante uma coletiva de imprensa, o presidente do banco central espanhol enfatizou que a crise financeira era tão grave que estava atingindo a economia real e reduzindo os riscos de inflação.

"A contração da economia causada pelo impacto da turbulência financeira reduzirá o risco de inflação", disse Ordonez.

"Nós estávamos muito cautelosos na última reunião e mantivemos a taxa. O que acontece é que desde o colapso do Lehman Brothers, esses 15 dias que moveram o mundo, o cenário mudou radicalmente", disse ele.

"Nós estamos conscientes de que esta crise terá um impacto na economia real e, consequentemente, não faria sentido manter a taxa (de juros)."

(Reportagem de Andrew Hay)