Citigroup pode revelar vendas de US$400 bi em ativos--fontes

sexta-feira, 9 de maio de 2008 07:56 BRT
 

Por Joseph A. Giannone e Dan Wilchins

NOVA YORK (Reuters) - O Citigroup, que tem sido duramente atingido pelo aperto global no crédito, deve apresentar planos para vender cerca de 400 bilhões de dólares em ativos estrangeiros quando realizar reunião com investidores e analistas nesta sexta-feira, informaram fontes próxima do assunto.

O recém-instalado presidente-executivo, Vikram Pandit, que está trabalhando para reduzir os custos do Citi e superar os problemas da instituição com os mercados de crédito, também pretende reafirmar sua promessa de cortar despesas anuais do maior banco dos Estados Unidos em cerca de 20 por cento, disse uma das fontes à Reuters na quinta-feira.

Representantes do Citigroup não comentaram o assunto.

As vendas podem corresponder a quase 20 por cento dos atuais ativos do Citigroup e, segundo o Financial Times, que publicou a informação na quinta-feira, pode levar vários anos até a conclusão.

Apesar de o Citi ter dito anteriormente que planeja cortar ativos para melhorar sua posição de capital, a magnitude das vendas potenciais tem deixado analistas inquietos.

"A única razão para você vender tantos ativos é que você tem muito mais perdas para registrar do que você pensava anteriormente", disse Jim Huguet, co-pr%sidente-executivo da adminstradora de fundos Great Companies, que não possui ações do Citi.

Desde o final do ano passado, o Citi divulgou baixas contábeis e perdas com crédito de mais de 45 bilhões de dólares, levantou mais de 40 bilhões de dólares em capital novo, incluindo 2 bilhões de dólares em ações preferenciais nesta semana, e cortou dividendos em 41 por cento.

Não está claro precisamente quais ativos estão à venda, mas analistas especulam que as áreas de finanças ao consumidor nos Estados Unidos, Japão, México e Alemanha são possibilidades.   Continuação...