Vitória da OHL em leilão de rodovias afeta ações; CCR também cai

terça-feira, 9 de outubro de 2007 19:35 BRT
 

Por Rodolfo Barbosa e Cesar Bianconi

SÃO PAULO (Reuters) - As ações da OHL Brasil, vitoriosa nos cinco trechos de rodovias federais que disputou no leilão desta terça-feira, fecharam em queda depois que a empresa foi ousada, oferecendo deságio de até 65 por cento sobre o preço máximo definido pelo governo para o pedágio.

Mas as ações da CCR Rodovias, que participou da disputa e não levou nenhum trecho, caíram ainda mais. A empresa, ligada ao grupo português Brisa, divulgou, ao final do leilão, comunicado dizendo que agiu "no limite da responsabilidade e disciplina de capital".

As ações da OHL caíram 3,25 por cento, fechando em 36 reais, com 66 milhões de reais em negócios. Mas chegaram a subir 3 por cento logo após as primeiras rodadas do leilão, perdendo terreno em seguida.

As ações da CCR terminaram o dia com desvalorização de 7,17 por cento, com preço de 36,01 reais, e volume de 81,6 milhões de reais. O Ibovespa fechou o dia em alta de 1,42 por cento, em novo recorde de 63.548 pontos, com 6,7 bilhões de reais de negócios.

Para a analista Mônica Araújo, da Corretora Ativa, trata-se de um "medo inicial" diante da previsão de investimentos pesados para cumprir os contratos de concessão. Pelos cinco trechos conquistados, a OHL deve fazer investimentos de 16,7 bilhões de reais ao longo dos 25 anos das concessões.

"Ainda é cedo para tirar qualquer conclusão, mas é fato que a OHL está sendo muito agressiva, o que mostra uma disposição grande de crescer e chegar mais perto da CCR, que é líder do mercado... Será um crescimento brutal para a OHL", afirmou a analista.

Essa também foi a avaliação do diretor da Novação Distribuidora Carlos Alberto Ribeiro. "O que poderia justificar a queda da OHL neste momento é o grande investimento que ela terá que fazer nas estradas, que precisarão ser reformadas antes de começar a pagar o investimento", disse.

Sobre o desempenho da CCR na Bovespa, Ribeiro comentou que as ações tiveram queda justamente porque a empresa não levou nenhuma concessão. Em comunicado, a CCR reafirmou confiança no momento atual da economia brasileira, antevendo outras oportunidades de crescimento dos negócios no país.   Continuação...