IGP-M sobe mais que 4 vezes puxado por alimentos e commodities

sexta-feira, 9 de maio de 2008 08:40 BRT
 

Por Vanessa Stelzer

SÃO PAULO (Reuters) - Os maiores custos de alimentos e o impacto de commodities cada vez mais caras no atacado fizeram o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) quadruplicar a alta na primeira leitura de maio.

O indicador subiu 1,36 por cento, contra elevação de 0,33 por cento em igual período de abril, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira. Foi a maior variação desde dezembro de 2007, quando o índice variou 1,76 por cento.

Economistas consultados pela Reuters estimavam um dado de 0,61 por cento, de acordo com a mediana das previsões que variaram de 0,60 a 0,80 por cento. Apenas alguns analistas fizeram revisões de última hora depois de outros dados de inflação surpreenderem para cima na semana, o que pode ter comprometido as expectativas.

Nesta semana, o IGP-DI de abril já havia surpreendido negativamente os analistas, pressionando fortemente o mercado de juros futuros.

Entre os componentes do IGP-M, o Índice de Preços por Atacado (IPA) teve alta de 1,82 por cento, ante avanço de 0,26 por cento na primeira leitura do mês anterior.

Os produtos agropecuários saltaram 1,27 por cento, seguindo a queda de 1,52 por cento na abertura do mês passado. Os industriais avançaram fortes 2,04 por cento, acima da elevação de 0,96 por cento anterior.

As maiores altas individuais no atacado vieram de minério de ferro (29,49 por cento), arroz em casca (32,76 por cento), ferro gusa (22,37 por cento), arroz beneficiado (31,71 por cento) e bovinos (2,63 por cento).

A maioria desses itens faz parte do subitem matérias-primas brutas, cujos preços subiram 3,92 por cento no início do ano, ante queda de 1,6 por cento.   Continuação...