Venezuela renacionalizará siderúrgica Sidor--fontes

quarta-feira, 9 de abril de 2008 11:28 BRT
 

CARACAS (Reuters) - O governo venezuelano renacionalizará a maior siderúrgica do país, a Ternium Sidor, na segunda grande aquisição de ativos de companhias estrangeiras em uma semana.

Depois de anunciar a estatização da indústria cimenteira do país, fontes do sindicato e do governo disseram nesta quarta-feira que a Sidor voltará ao controle de Caracas.

O secretário-geral do sindicato da Sidor, Nerio Fuentes, afirmou que o vice-presidente da Venezuela informou à companhia e aos funcionários sobre a decisão tomada em reunião realizada no final da terça-feira.

"Estamos aqui comemorando em assembléia a decisão de que a Sidor retornará às mãos do Estado", disse Fuentes à Reuters em entrevista por telefone. Um ministro do governo que pediu para não ser identificado confirmou a decisão de nacionalização.

No fim de semana, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirmou que seu governo assumiria a responsabilidade na negociação com a companhia em uma disputa trabalhista que envolve pagamento dos funcionários e que gerou uma série de greves regulares nos últimos meses.

Chávez fez uma série de ameaças de tomar o controle da produtora de aço no ano passado, em um momento em que ele estava aumentando o controle do governo sobre a economia, num impulso de nacionalização.

Ele renovou sua campanha na semana passada, quando ordenou a nacionalização da maior empresa de cimento do país, totalmente controlada por estrangeiros.

Em ambos os casos, Chávez reclamou que as empresas não estavam priorizando de maneira suficiente o abastecimento do mercado venezuelano.

Representantes da Techint, a empresa argentina que controla a Sidor, não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto. A companhia detém 60 por cento do capital da siderúrgica e o governo venezuelano possui outros 20 por cento. O restante está nas mãos de trabalhadores e ex-funcionários da empresa.   Continuação...