JURO-Aceleração dos preços mantém taxas pressionadas na BM&F

segunda-feira, 9 de junho de 2008 16:08 BRT
 

SÃO PAULO, 9 de junho (Reuters) - A aceleração dos índices e das expectativas de inflação manteve as projeções de juros pressionadas na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) nesta segunda-feira.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2010, o mais negociado nesta sessão, subiu de 14,58 por cento para 14,76 por cento. O DI janeiro de 2009 avançou de 13,12 por cento para 13,16 por cento.

"A inflação continua surpreendendo de forma negativa. A gente teve o IGP-DI a 1,88 por cento, bem acima da média (das expectativas), e a pesquisa Focus continua piorando", disse Rodrigo Ferreira, operador do Banco Alfa de Investimento.

O resultado do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de maio foi o maior desde janeiro de 2003, segundo a Fundação Getúlio Vargas.

A mediana das 18 projeções de economistas ouvidos pela Reuters colocava o IGP-DI em 1,70 por cento no mês passado. A principal contribuição para o aumento do índice partiu dos alimentos in natura.

Já as expectativas de inflação, de acordo com a pesquisa feita toda semana pelo Banco Central e divulgada no relatório Focus, continuaram a subir.

A previsão do mercado para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no final de 2008 subiu de 5,48 para 5,55 por cento --aumentando a distância do centro da meta definida pelo governo, de 4,5 por cento.

A pressão sobre o mercado pode continuar ao longo da semana. De acordo com Carlos Cintra, gerente de renda fixa do Banco Prosper, no Rio de Janeiro, "a semana está bastante agitada de indicadores."

"Tem PIB amanhã, IPCA na quarta-feira, ata do Copom na quinta, e sexta lá fora (nos Estados Unidos) tem o CPI (índice de preços ao consumidor)".

O BC realizou duas operações no mercado aberto no começo da manhã. Na primeira, foram recolhidos 47,156 bilhões de reais dos bancos, por 1 dia, a 12,15 por cento ao ano. Na segunda, o BC tomou apenas 35 milhões de reais, também por 1 dia, com remuneração de 12,18 por cento.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Vanessa Stelzer)