BOVESPA-Inflação e Wall St provocam realização de lucros

sexta-feira, 9 de maio de 2008 11:59 BRT
 

SÃO PAULO, 9 de maio (Reuters) - A inflação doméstica em alta e os renovados temores de Wall Street com novos desdobramentos da crise de crédito dos Estados Unidos levavam a Bolsa de Valores de São Paulo para baixo nesta sexta-feira.

Às 11h58, o Ibovespa .BVSP apontava queda de 0,8 por cento, aos 69.167 pontos. No pior momento, o índice chegou a ficar agaixo dos 69 mil pontos. O volume negociado era de 1,6 bilhão de reais.

Segundo operadores, a tendência de aceleração dos preços domésticos, reforçada pela divulgação de dois importantes índices nesta manhã, reforçaram o temor de que o Banco Central amplie o aperto monetário para conter a inflação.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou pela manhã que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou 0,55 por cento em abril, ante variação positiva de 0,48 por cento em março, acumulando aumento de 5,04 por cento em doze meses, acima da meta fixada pelo governo para 2008, de 4,5 por cento.

E o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) subiu 1,36 por cento na primeira prévia de maio, contra elevação de 0,33 por cento em igual período de abril, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Economistas consultados pela Reuters estimavam um dado de 0,61 por cento.

"O índice de inflação veio acima do previsto, uma das maiores taxas de inflação mensal do ano, o que irá pesar na próxima decisão do BC sobre os juros", disse Júnior Hydalgo, diretor da Trust Investimentos.

Segundo operadores, o mercado também acompanhava o mau humor de Wall Street com a notícia de que a AIG, segunda maior seguradora o mundo, teve um prejuízo de 7,81 bilhões de dólares no primeiro trimestre de 2008, em meio a baixas contábeis em ativos ligados às hipotecas de alto risco nos Estados Unidos.

Na Bolsa de Nova York, o índice industrial Dow Jones .DJI apontava queda de 0,6 por cento.

Na bolsa paulista, 54 das 66 ações que compõem o Ibovespa registravam queda. Entre as líderes de perdas, apareciam ações de bancos, de varejistas e de empresas ligadas a commodities agrícolas, justamente as que mais ganharam nos dias que se seguiram à obtenção do investment grade pelo Brasil, na semana passada.   Continuação...