Em visita aos EUA, papa tentará sanar ferida de escândalo sexual

quarta-feira, 9 de abril de 2008 12:45 BRT
 

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - Em sua primeira viagem aos EUA como líder católico, na próxima semana, o papa Bento 16 tentará sanar as feridas deixadas pelo escândalo de abusos sexuais responsável por abalar a imagem da Igreja Católica naquele país, afirmou a segunda maior autoridade do Vaticano.

"O papa falará de uma forma específica a esse respeito", disse o cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, em uma entrevista concedida ao canal Fox News e que deve ir ao ar na quarta-feira.

"O papa, junto com os padres da Igreja, tentará naturalmente trilhar o caminho rumo à cura e à reconciliação."

O escândalo dos abusos sexuais começou em Boston em 2002, quando se descobriu que dirigentes da Igreja mudaram padres acusados de abusar de crianças para novas paróquias em vez de destituí-los de sua batina ou denunciá-los à polícia. O escândalo mais tarde ampliou-se para abarcar quase todas as dioceses católicas do país.

Em julho passado, a Arquidiocese de Los Angeles aceitou pagar 660 milhões de dólares para 500 vítimas de abusos sexuais praticados desde os anos 40.

O papa alemão, que deve visitar Washington e Nova York, levantará a questão dos abusos sexuais em um pronunciamento a ser feito na catedral de St. Patrick, no dia 17 de abril, afirmou Bertone. O líder católico permanecerá nos EUA entre os dias 15 e 20 deste mês e deve também discursar na Organização das Nações Unidas (ONU).

Antes de ser eleito como pontífice, em 2005, o então cardeal Joseph Ratzinger colocou-se em uma posição vulnerável ao censurar publicamente a "sujeira" existente dentro da Igreja.

Como papa, o atual líder católico adotou uma postura mais rígida a respeito dos abusos do que o antecessor dele, papa João Paulo 2o, que já estava envelhecido e fragilizado quando os escândalos estouraram.

Dois anos atrás, Bento 16 puniu o reverendo Marcial Maciel, fundador dos conservadores Legionários de Cristo. Maciel era acusado de ter abusado sexualmente de meninos décadas antes. O reverendo morreu em janeiro, aos 87 anos de idade. Segundo Bertone, o escândalo dos abusos sexuais, que também atingiu os padres católicos na Irlanda e em outros países, não deveria forçar a Igreja a abrir mão de seu papel na área da educação.

"Não podemos renunciar a participar da educação, não podemos renunciar às escolas, não podemos renunciar a nossos centros de jovens", afirmou.

(Reportagem de Phil Stewart)

 
<p>Em visita aos EUA, papa tentar&aacute; sanar ferida de esc&acirc;ndalo sexual. O papa Bento 16 na Cidade do Vaticano em Roma. Em sua primeira viagem aos EUA como l&iacute;der cat&oacute;lico, o pont&iacute;fice  tentar&aacute; sanar as feridas deixadas pelo esc&acirc;ndalo de abusos sexuais respons&aacute;vel por abalar a imagem da Igreja Cat&oacute;lica naquele pa&iacute;s, afirmou a segunda maior autoridade do Vaticano. 9 de abril. Photo by Max Rossi</p>