January 10, 2008 / 5:39 PM / in 10 years

SAIBA MAIS-Opinião de Wall St e políticos nos EUA sobre recessão

5 Min, DE LEITURA

NOVA YORK, 10 de janeiro (Reuters) - O crescimento do emprego parou e a atividade manufatureira se contraiu em dezembro, aumentando o temor de uma recessão em muitas das empresas de Wall Street, as mesmas que até recentemente previam um panorama benigno para a economia.

A combinação entre a piora da crise imobiliária e o aperto das condições de crédito afetou os consumidores e as empresas, e há um sentimento crescente de que uma desaceleração econômica mais forte é inevitável.

Veja a seguir comentários de grandes bancos, economistas e figuras políticas sobre a perspectiva de recessão.

Wall Street

Goldman Sachs

"Os dados econômicos mais recentes sugerem que as ondas de choque da crise imobiliária e do aperto no crédito estão empurrando a economia norte-americana para uma recessão. Dessa forma, nós rebaixamos nossa previsão, que já era abaixo da média, para refletir uma contração na atividade em 2008."

j.p. Morgan

"Nós achamos que a probabilidade de a economia cair em recessão --evento que provoca perda no emprego e queda na renda-- foi para 40 por cento. Em outras palavras, a recessão não é nosso cenário principal, mas os riscos estão maiores."

Merrill Lynch

"O comitê da National Bureau of Economic Research (NBER) terá a palavra final, mas até esperarmos por provas concretas, incluindo revisões, serão pelo menos dois anos."

Morgan Stanley

"Reiteramos nosso alerta de recessão para os Estados Unidos no primeiro semestre de 2008. A questão agora é saber a profundidade e a duração que ela terá. Pensamos que será amena e curta; as recessões fora do país são improváveis, os excessos norte-americanos são poucos fora do setor imobiliário, e o fim da alta da inflação deve dar ao Fed espaço para um alívio monetário adicional."

Washington E Outros

AUSTAN GOOLSBEE, CONSELHEIRO ECONÔMICO DA PRÉ-CANDIDATURA PRESIDENCIAL DEMOCRATA DE BARACK OBAMA

"No mínimo vai ser doloroso e certamente há a possibilidade de que seja uma situação bem difícil."

George W. Bush, Presidente Dos Estados Unidos

"A nossa economia tem fundamentos sólidos, mas nós não podemos dar o crescimento dela como certo."

HILLARY CLINTON, PRÉ-CANDIDATA DEMOCRATA À PRESIDÊNCIA

"Eu acho que a economia está caindo em recessão. O desemprego atingiu na sexta-feira 5 por cento, o petróleo a 100 dólares também nos afetou, a queda do dólar, há uma série de pressões sobre as famílias de classe média e os custos que elas precisam manter subiram astronomicamente."

LARRY SUMMERS, EX-SECRETÁRIO DO TESOURO

"Eu acredito que, em condições anormais, os Estados Unidos e as economias globais estão em um poto de inflexão, com o risco mais alto de recessão já visto neste século", disse em conferência com investidores em Oslo.

MARTIN FELDSTEIN, PROFESSOR DE HARVARD E DIRETOR DA NATIONAL BUREAU OF ECONOMIC RESEARCH

"Eu acho que não estamos em recessão agora. Eu penso que há um sério risco de que isso possa piorar e então possamos ver um declínio de fato."

WILLIAM POOLE, PRESIDENTE DO FEDERAL RESERVE DE ST. LOUIS

"Os riscos de recessão são basicamente consequência da turbulência financeira, que ameaçou espalhar os problemas do setor imobiliário sobre o restante da economia. Esses problemas vão levar a economia para uma recessão? É muito cedo para dizer agora, mas o que podemos fazer é examinar a situação atual bem de perto."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below