January 10, 2008 / 9:40 PM / in 10 years

Governo anuncia medidas para evitar racionamento de energia

3 Min, DE LEITURA

BRASÍLIA (Reuters) - O governo decidiu tomar medidas para evitar um eventual risco de racionamento de energia elétrica no Brasil, colocando imediatamente em operação no Sudeste usinas térmicas movidas a óleo e avaliando a possibilidade de a Petrobras reduzir o consumo próprio de gás.

De acordo com o ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, entrarão imediatamente em operação seis usinas a óleo na região Sudeste, gerando um total de 800 MW, com o objetivo de não comprometer os reservatórios da região.

Ainda há estudos para resolver problemas de logística visando colocar em funcionamento outras usinas a óleo no Sudeste.

"A preocupação do comitê é exatamente levantar todas as possibilidade de oferta de energia de forma a não comprometer o ano de 2009. Para que, mesmo que a gente evolua para um período hidrológico muito crítico, nós tenhamos segurança de suprimento para o país não só em 2008 mas também em 2009", afirmou Hubner em entrevista à imprensa após reunião de monitoramento do setor elétrico, na quinta-feira.

O governo conta também com a entrada no sistema de novos campos de gás ou gasodutos que vão viabilizar o aumento de fornecimento para as termelétricas.

Hubner explicou que na primeira semana de fevereiro vai se completar um gasoduto que chegará a Vitória (ES), com isso serão liberados para o Rio de Janeiro 5,5 milhões de metros cúbicos de gás por dia, gerando 1.000 MW.

Ao mesmo tempo, a Petrobras deverá substituir em suas refinarias o gás por óleo combustível.

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Mauricio Tolmasquin, descartou ainda uma situação similar à de 2001, quando houve racionamento de energia no país.

"Nós temos hoje um parque de termelétricas instalado que não tinha naquela época. Temos cerca de 4 mil MW que estão parados, e que a gente pode colocar para operar", explicou ele.

"Em 2001 teve que haver medidas de racionamento, de limitação da demanda. Hoje, felizmente não precisamos restringir o consumo da população brasileira."

Hubner descartou ainda um aumento no preço, apesar do uso de óleo para a geração de energia, o que é mais caro do que a energia produzida a partir de hidrelétricas.

Reportagem de Raymond Colitt

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below