Promotora diz que continua preocupada com situação do Masp

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008 19:57 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Ministério Público Estadual, a Secretaria Estadual da Cultura e a Secretaria Municipal da Cultura divulgaram uma nota nesta quinta-feira para expressar sua preocupação com as condições de segurança do acervo do Museu de Arte de São Paulo (Masp), além da situação financeira e contábil da instituição.

O MPE já vinha investigando as finanças do museu e afirmou que dados contábeis de 2007 ainda não foram disponibilizados.

Relatórios do Contru e do Corpo de Bombeiros, que também foram requisitados pelo MPE, também não foram entregues ainda.

"O Ministério Público também requisitou perícia técnica de todo o acervo e seus registros", informa a nota. Os órgãos também afirmam que "continuarão trabalhando para que o Masp retome a importância que a instituição deve ter".

A promotora de Justiça Mariza Schiavo Tucunduva, que assina a nota em conjunto com os secretários-adjuntos das secretarias, está à frente do caso no MPE para estabelecer o tamanho da dívida do museu e se a instituição tem condições de funcionar sem uma intervenção.

No caso de uma intervenção, há possibilidade de afastamento da diretoria do Masp para que uma junta de interventores analise o caso.

No dia 20 de dezembro, duas telas de Picasso e Portinari foram roubadas do museu, detonando novas críticas à administração do Masp, liderada pelo presidente Júlio Neves, que está há mais de 10 anos no cargo.

As obras foram encontradas pela Polícia Civil na terça-feira e devolvidas ao Masp na quarta-feira.

(Por Fernanda Ezabella)