Cade pede ao Santander detalhes sobre compra do ABN Real

quarta-feira, 10 de outubro de 2007 12:55 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O plenário do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira solicitação de mais informações sobre as áreas financeiras envolvidas na operação de compra do ABN Amro Real pelo Santander e deu até 30 dias para que os bancos entreguem os dados.

O Cade analisa as áreas não-financeiras da operação (seguros, cartões de crédito, corretagem e administração de fundos), mas o relator do caso, Abraham Sicsu, decidiu aproveitar entendimento recente do Tribunal Regional Federal de Brasília de que a autarquia tem competência também para avaliar impactos nos serviços financeiros, como crédito, que podem ser gerados pela união dos bancos.

Atualmente aquisições de instituições financeiras passam pelo Banco Central, que analisa as atividades financeiras dos bancos envolvidos, e pelo Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência, que inclui o Cade e avalia o impacto nos demais mercados.

Com a decisão do TRF, sobre a qual ainda cabe recurso, o Cade passaria a ter competência também para avaliar operações de áreas financeiras dos bancos.

O advogado que assessora a operação, José Inácio Franceschini, disse que a decisão do Cade não foi uma surpresa e que não espera que a exigência da autarquia acarrete em atrasos à aprovação da operação.

Segundo ele, os bancos já tinham encaminhado ao Banco Central, no final de julho, os documentos solicitados pelo Cade. Na época, de acordo com o representante, o BC informou que somente começaria a avaliar o assunto após o fechamento da operação.

"Não é problemático, nem traumático, não há nada a esconder", disse Franceschini sobre o pedido do Cade. Ele acrescentou que as instituições não precisarão dos 30 dias definidos pelo Cade pois os documentos serão apresentados imediatamente.

Com a compra do Real, o Santander saltará quatro posições no ranking de instituições financeiras do país, ficando em terceiro lugar, atrás do Banco do Brasil e do Bradesco .

A operação do Santander com o Real faz parte da maior aquisição da indústria bancária mundial: a compra do ABN Amro pelo trio de bancos internacionais formados por Royal Bank of Scotland, Fortis e pelo próprio Santander. O grupo ofereceu cerca de 70 bilhões de euros pela instituição holandesa.   Continuação...