Pedidos semanais de auxílio-desemprego caem nos EUA

quinta-feira, 10 de abril de 2008 11:37 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O número de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos recuou inesperadamente em 53 mil na última semana, mas uma medida que exclui a volatilidade semanal atingiu o maior nível em dois anos e meio, mostraram dados do governo nesta quinta-feira.

O Departamento de Trabalho divulgou que o número de pedidos iniciais recuou para 357 mil na semana encerrada em 5 de abril, ante 410 mil na semana anterior.

Economistas ouvidos pela Reuters previam um dado de 385 mil pedidos.

A média quadrissemanal dos pedidos, considerada uma medida mais precisa das tendências sobre emprego, subiu para 378.250 na semana de 5 de abril, contra 375.750 na anterior. Foi o maior dado desde outubro de 2005.

Com isso, como prova da atual fraqueza do mercado de trabalho, o número de trabalhadores que recebem o benefício subiu para 2,94 milhões, o maior desde julho de 2004. Analistas estimavam que o número alcançasse 2,93 milhões.

"Um recuo nos pedidos é melhor do que uma alta, que foi o que vimos no mês passado, mas eu acho que você tem que olhar para a média quadrissemanal, e ela ainda foi para cima e continua na margem de baixo de uma zona perigosa", disse Michael Darda, economista-chefe da MKM Partners, em Greenwich, Connecticut.

Um funcionário do Departamento de Trabalho disse que a forte alta da semana anterior ocorreu por pedidos no setor manufatureiro, especialmente automotivo, e indústrias em Indiana.

(Reportagem de Mark Felsenthal, reportagem adicional de Caroline Valetkevitch)