CEO da J.C.Penney descarta fim da crise nos EUA tão cedo

quinta-feira, 10 de abril de 2008 11:50 BRT
 

BARCELONA (Reuters) - O principal executivo da rede de varejo J.C.Penney demonstrou uma visão pessimista com a economia norte-americana nesta quinta-feira, ao dizer que não vê perspectivas de uma melhora no panorama antes do final do ano.

"Não estamos muito otimistas sobre o fim dessa crise em curto espaço de tempo", disse o chairman e presidente executivo Myron Ullman a jornalistas nos corredores do World Retail Congress em Barcelona (Espanha), descrevendo o clima atual como "difícil".

Os varejistas norte-americanos estão sendo penalizados na medida em que os consumidores enfrentam alta nos preços dos combustíveis, assistem à queda no valor de suas casas e o endurecimento dos padrões de concessão de crédito e ainda enfrentam insegurança em relação aos seus empregos.

A rede de varejo baseada no Texas anunciou nesta quinta-feira uma queda de 12 por cento nas vendas do mês de março das suas lojas de departamento abertas há pelo menos um ano, quase em linha com a estimativa dos analistas.

Os resultados chegam depois que a J.C. Penney divulgou, no mês passado, um alerta sobre o lucro da companhia no primeiro trimestre, diante do temor de que no segundo semestre o setor de varejo continue a enfrentar dificuldades.

Desde o início deste ano, o mercado varejista dos Estados Unidos já eliminou 75 mil postos de trabalho, de acordo com uma pesquisa oficial divulgada neste mês.

O volume representa quase um terço de todas as demissões nas áreas urbanas do país este ano.

(Sonya Downsett)