CSN fecha 1o grande contrato para venda de minério

terça-feira, 10 de junho de 2008 12:34 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.;

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Siderúrgica Nacional anunciou nesta terça-feira seu primeiro grande contrato de longo prazo de fornecimento de minério de ferro depois que venceu disputa judicial com a Vale .

Os contratos assinados com a Gulf Industrial Investment, uma pelotizadora do Barein, envolvem fornecimento de minério fino para pelotas produzido a partir das minas de Casa de Pedra e da subsidiária Namisa. O acordo tem prazo de 25 anos a partir de 2009 com um volume mínimo contratado de 183,3 milhões de toneladas.

"Nós estamos pegando carona nessa onda de crescimento do Oriente Médio. A Giic consome 'pellet feed' (minério fino) e isso vai ser a partir de 2012 o principal produto de nossas minas", afirmou à Reuters o diretor executivo de mineração da CSN, Juarez Saliba, em entrevista por telefone.

O executivo afirmou que a CSN trabalha desde o início do ano com a Giic, que atualmente tem capacidade de produção de 5 milhões de toneladas de pelotas por ano e a partir de 2009 terá uma nova planta, que elevará essa capacidade para 11 milhões de toneladas.

"Eles estão crescendo muito ... e eles estão se preparando para ser a principal fornecedora de matéria-prima para produção de aço no Oriente Médio", disse Juarez.

Segundo ele, a CSN já tem a produção de minério de ferro de 2008 totalmente vendida e para 2009 o nível vendido está na casa dos 90 por cento, "faltando finalizar alguns contratos". Atualmente, a capacidade de produção de minério da CSN é de 35 milhões de toneladas no ano e para 2012 esse volume será elevado para cerca de 100 milhões de toneladas.

O executivo comentou que a CSN exporta este ano mais de 20 milhões de toneladas de minério pelo porto da companhia em Itaguaí, no Rio de Janeiro. Para 2009, as vendas externas sobem para mais de 30 milhões de toneladas, com a maior parte indo para China e também para Europa e Oriente Médio.

"O mercado está muito bom, hoje existe falta de oferta de minério no mercado. Nossa idéia é nos comprometermos com contratos de longo prazo para quase toda a nossa produção", afirmou Juarez.   Continuação...