Governo quer proteger clientes de bancos pequenos, diz Lula

sexta-feira, 10 de outubro de 2008 13:34 BRT
 

BRASíLIA, 10 de outubro (Reuters) - Ao editar na segunda-feira a medida provisória 442, que autoriza o Banco Central a emprestar recursos para os bancos aceitando como garantia suas carteiras de crédito, o governo quis proteger os clientes de instituições de menor porte durante a crise financeira global. A afirmação foi feita na sexta-feira pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista a portais brasileiros de Internet.

"A idéia é garantir que o cliente que tem conta no banco tenha seu dinheiro garantido. Em todo a crise, há aquele que quer levar o melhor", declarou o presidente, segundo informações da Agência Brasil.

Segundo Lula, o Executivo não anunciará um conjunto de ações para combater a crise. "Comigo não tem pacote. Serão medidas a medidas, pontuais", afirmou, complementando que o Brasil já "quebrou a cara muitas vezes" devido a pacotes anunciados por outros governos.

O presidente assegurou ainda que não cortará o orçamento de programas sociais, pois tais gastos garantem o aquecimento do mercado doméstico. "Não vamos tirar nenhum centavo desse dinheiro", destacou.

Lula voltou a defender o aumento da regulação do sistema financeiro. "Ninguém pode negociar o que não tem e a movimentação de recursos de forma virtual, em que só se vende papel, é a causa da quebra financeira que ocorreu", disse aos jornalistas.

"Não se pode permitir alguém financiar o que não tem", acrescentou.

O presidente, que vem dizendo que o país está mais bem preparado para enfrentar choques externos, destacou que esta crise não é dos pobres, e sim "um calo no pé dos ricos".

Lula incentivou ainda o aumento do consumo no fim do ano. "Precisamos nos preparar para a gente comprar tudo o que a gente sonha comprar no Natal. E torcer para o Ano Novo ser infinitamente melhor."

(Texto de Fernando Exman; Edição de Isabel Versiani)