Vale e Petrobras puxam terceira queda seguida da Bovespa

terça-feira, 10 de junho de 2008 18:28 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Atingida por mais um desmanche de posições em papéis da Vale e da Petrobras, a Bolsa de Valores de São Paulo emendou a terceira queda seguida nesta terça-feira.

Depois de ter chegado a cair mais de 3 por cento no meio da tarde, o Ibovespa reduziu parcialmente as perdas, fechando com desvalorização de 2,17 por cento, aos 67.774 pontos. O giro financeiro foi de 6,2 bilhões de reais.

As grandes vilãs do dia foram as ações preferenciais da Vale, desabando 4,1 por cento, para 48,62 reais, terceiro pior desempenho do índice.

A mineradora anunciou pela manhã que fará uma oferta publica de ações preferenciais e ordinárias, para captar até 15 bilhões de dólares, confirmando rumores de mercado que já haviam feito o preço das ações caírem nas sessões anteriores.

"O receio de que a companhia irá se endividar para financiar alguma grande aquisição foi usada como pretexto para derrubar o preço das ações", disse Edson Roberto Marcellino, sócio-diretor da corretora Finabank.

Papéis mais importantes do Ibovespa, as ações preferenciais da Petrobras também pressionaram o índice, caindo 3,1 por cento, para 46 reais.

Profissionais do mercado atribuíram o movimento a dois fatores. Um foi a queda do preço do petróleo para a faixa de 131 dólares o barril. O outro foi investidores vendendo ações da Petrobras para participar na oferta pública de ações da OGX.

O dia foi negativo para a maior parte das ações, mas com peso destacado para papéis de bancos, de empresas ligadas ao varejo doméstico e ao agronegócio. As ações preferenciais do Itaú caíram 3,4 por cento, a 35,50 reais; as preferenciais da Lojas Renner perderam 3,16 por cento, para 36,22 reais.   Continuação...