Em linha com o esperado, IGP-M tem variação nula

quarta-feira, 10 de setembro de 2008 08:25 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Os alimentos no atacado continuaram em queda, mas em ritmo menor, enquanto no varejo contribuíram para uma deflação, levando o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) a apresentar taxa de variação nula na primeira prévia de setembro.

O dado de 0,0 por cento, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira, segue a ligeira queda de 0,01 por cento na primeira prévia de agosto. Em todo o mês de agosto, o IGP-M registrou deflação de 0,32 por cento.

O número da primeira prévia ficou exatamente em linha com a previsão do mercado, segundo a mediana de 10 analistas consultados pela Reuters.

Entre os componentes do IGP-M, o Índice de Preços por Atacado (IPA) recuou 0,14 por cento na primeira leitura deste mês, após cair 0,24 por cento na primeira de agosto.

O IPA agrícola declinou 2,26 por cento, ante queda de 2,91 por cento na leitura anterior.

Entre as maiores influências negativas no atacado, a maioria continuou vindo dos alimentos: tomate, leite in natura, ferro gusa, milho em grão e batata-inglesa. As principais pressões de alta foram de etileno, relaminados de aço, cana-de-açúcar, artefatos de trefilados e vergalhões de aço ao carbono.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) declinou 0,08 por cento, depois de avançar 0,07 por cento na abertura do mês passado.

Os preços do grupo Alimentação no varejo recuaram 1,02 por cento na primeira prévia deste mês, ante baixa de 0,59 por cento em igual período de agosto. Os custos de Habitação também contribuíram para a deflação do indicador, ao desacelerarem a alta para 0,25 por cento, ante 0,64 por cento na abertura de agosto.

As maiores influências negativas no varejo vieram de tomate, batata-inglesa, leite longa vida, feijão carioquinha e beterraba.   Continuação...