PANORAMA2-Após pânico, bolsas reduzem perdas ao fechar semana

sexta-feira, 10 de outubro de 2008 18:02 BRT
 

SÃO PAULO, 10 de outubro (Reuters) - Os mercados financeiros tiveram mais um dia de forte tensão pela crise global de crédito. No encerramento da sexta-feira, no entanto, as bolsas de valores exibiram uma discreta melhora, otimistas com as reuniões do G7 e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Entre as notícias negativas do dia, a Moody's disse que poderia reduzir o rating do Morgan Stanley (MS.N: Cotações) e do Goldman Sachs (GS.N: Cotações) e uma fonte do G7 informou que o grupo dos sete países mais industrializados do mundo não deve adotar a proposta britânica de garantir os empréstimos interbancários.

Mas o mercado agarrou-se na esperança de que o G7, reunido nesta sexta-feira, e o FMI e o Banco Mundial no sábado, façam algo contra a crise. Ainda assim, o Dow fechou abaixo dos 8 mil pontos e o S&P abaixo dos 900 pontos, enquanto a Bovespa acumulou queda de 20 por cento na semana.

No Brasil, os juros futuros continuaram sinalizando que, em meio à crise, o aperto monetário pode acabar antes do previsto inicialmente. O Unibanco revisou o prognóstico para a decisão da Selic em outubro, de alta de 0,50 ponto percentual para estabilidade.

O Banco Central continuou atuando no mercado de câmbio, realizando três leilões de venda de dólares à vista e um de swap cambial. Ainda assim, a moeda saltou 14 por cento na semana ante o real.

Veja como encerraram os principais mercados nesta sexta-feira:

CÂMBIO BRBY

O dólar terminou a 2,326 reais, em alta de 5,58 por cento. O volume negociado no mercado interbancário foi de 2,1 bilhões de dólares.   Continuação...