Premiê do Timor Leste visita presidente do país após atentado

segunda-feira, 10 de março de 2008 08:07 BRT
 

SYDNEY (Reuters) - O primeiro-ministro do Timor Leste, Xanana Gusmão, visitou o presidente do país, José Ramos-Horta, em um hospital australiano na segunda-feira, em uma amostra de solidariedade após ambos terem sido alvos de tentativas de assassinato em fevereiro.

Gusmão disse estar feliz por ver Ramos-Horta caminhando novamente após ser baleado e gravemente ferido. Ele acrescentou que espera que a operação para prender os demais rebeldes por trás dos ataques termine esta semana.

"Venho em um gesto de solidariedade", disse Gusmão a jornalistas após visitar Ramos-Horta no hospital de Darwin.

Gusmão, que é amigo de longa data de Ramos-Horta, disse ter primeiro perguntado: "Como está senhor presidente?" e depois "Como está meu irmão?"

"Estamos muito contentes e felizes em ver o presidente caminhando e se recuperando bem", disse.

Ramos-Horta foi levado às pressas para Darwin, no norte da Austrália, com ferimentos a bala após o ataque no qual o líder rebelde Alfredo Reinado foi morto. Outro ataque simultâneo contra Gusmão também foi atribuído ao grupo rebelde. O premiê escapou ileso.

O presidente do Timor Leste ficará em Darwin por algumas semanas para se recuperar antes de retornar ao país, disse o médico Len Notaras, gerente-geral do Royal Darwin Hospital.

Foram emitidos 17 mandados de prisão contra pessoas suspeitas de envolvimento nos ataques, incluindo para Gastão Salsinha, que assumiu o comando dos rebeldes após a morte de Reinado.

"Esperamos que nessa semana terminemos essa operação", disse Gusmão, alertando para que Salsinha se renda ou enfrente as consequências.

"Após isso poderemos continuar a realizar esforços para resolver os vários problemas sociais e humanitários do nosso país", disse. (Reportagem de Michael Perry em Sydney e Tito Belo em Dili)