Saída de marqueteiro é mais um golpe na campanha de Alckmin

quarta-feira, 10 de setembro de 2008 13:46 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O marqueteiro Lucas Pacheco deixou a campanha do candidato do PSDB à prefeitura paulistana, Geraldo Alckmin, em mais um capítulo de uma candidatura que vem perdendo terreno junto ao eleitor. Ele será substituído pelo publicitário Raul Cruz Lima.

"Foi uma opção dele (Lucas). A gente já estava colocando o Raul para ajudar", disse à Reuters nesta quarta-feira o coordenador-geral da campanha tucana, deputado Edson Aparecido (SP), para quem a comunicação vinha sofrendo "um pouco" durante a campanha.

"Agora é bola para frente", completou, contando que Alckmin gravou programa eleitoral nesta manhã.

Questionado se a propaganda de rádio e TV, principal área de atuação dos marqueteiros, vai partir para o confronto direto com o prefeito e candidato Gilberto Kassab (DEM), Aparecido foi vago. "Vamos apontar os desafios que a cidade apresenta", disse. A primeira tarefa de fôlego do novo marqueteiro será conduzir o candidato no debate da TV Bandeirantes, nesta quinta-feira à noite. Ele vai enfrentar os jornalistas João Santana, que atua junto à candidata do PT Marta Suplicy, e Luiz Gonzalez, que trabalha com Kassab mas desempenhou a mesma função com Alckmin por três campanhas, entre elas a presidencial de 2006.

Depois de ter ensaiado críticas à áreas de saúde e educação da prefeitura, como reação à queda nas pesquisas, Alckmin recuou por pressão de tucanos que defendem a candidatura Kassab. Os ataques teriam como alvo o próprio PSDB e especificamente o governador José Serra, que esteve à frente da prefeitura até 2006, quando seu vice assumiu o posto mantendo a maior parte da equipe.

Sem se opor ao prefeito e disputando o mesmo eleitor, Alckmin sofre com a falta de discurso e está tecnicamente empatado com Kassab na mais recente pesquisa Datafolha. O tucano tem 22 por cento de intenção de voto e Kassab, 18 por cento, enquanto Marta aparece isolada na liderança com 40 por cento. No início de julho, Alckmin tinha 31 e Kassab, 13.

A campanha aposta em jantar na noite desta quarta-feira, na sede social do Jockey Club, em que Alckmin receberá pela primeira vez em público o apoio do governador Serra. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também estará presente.

Organizado para levantar recursos para a campanha, o jantar tem cerca de 300 convites ao custo de 1 mil reais cada um. (Reportagem de Carmen Munari)