Paulson não ficará no Tesouro dos EUA além de janeiro

domingo, 10 de agosto de 2008 11:51 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Henry Paulson, disse em entrevista veiculada neste domingo não ter interesse em permanecer em seu posto além de janeiro, quando uma nova administração assumirá o comando do país.

"Estou animado com a perspectiva de fazer outras coisas no próximo ano", disse Paulson à rede de TV NBC. A entrevista foi gravada no sábado em Pequim.

"Vou ficar até o fim", disse. "Estou focado em fazer tudo o que posso entre agora e 19 de janeiro."

Em março, Paulson propôs uma revisão do sistema regulatório dos EUA e a concessão de mais poder ao Federal Reserve diante da crise no mercado financeiro que expôs falhas de supervisão.

No mês passado, aliados republicanos no Congresso disseram que seus planos para escorar as companhias de hipoteca Fannie Mae e Freddie Mac tinha contornos socialistas porque os acionistas se beneficiavam dos ganhos em tempos bons, mas o governo ficava com as perdas em tempos ruins.

Paulson ofereceu uma linha de crédito melhor para as duas entidades, que têm o patrocínio do governo, e se propôs a comprar parte de suas ações se necessário para estimular a confiança de investidores --apesar de ele ter dito ser pouco provável que as cmopanhias teriam de acessar essas vantagens.

Fannie Mae e Freddie Mac financiam quase a metade de todas as hipotecas nos EUA e sofreram o impacto da crise imobiliária.

Na sexta-feira, Fannie Mae anunciou perdas de 2,3 bilhões de dólares e cortou seus dividendos. Paulson disse que a perda não era surpreendente dado o estado do mercado imobiliário e afirmou que ele não alterava sua visão de que as empresas provavelmente não demandariam recursos públicos.

"Não temos nenhum plano de enxertar dinheiro nessas instituições", afirmou na entrevista à NBC.   Continuação...