Em dia morno, Bovespa fecha praticamente estável

quinta-feira, 10 de abril de 2008 18:18 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Numa sessão de volatilidade constante, mas restrita, a Bolsa de Valores de São Paulo fechou praticamente estável, em meio à influência positiva de Wall Street e à expectativa de aperto no juro doméstico.

Após revezar alta e baixa diversas vezes ao longo da sessão, o Ibovespa encerrou em alta de 0,08 por cento, aos 63.527 pontos. O giro financeiro foi de 4,97 bilhões de reais.

Para profissionais do mercado, a espera pela definição da Selic ditou uma sessão típica de day trade (compra e venda de ações no mesmo dia). O motivo apontado foi a alta acima das expectativas do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em março, anunciada na quarta-feira.

"Um aperto mais forte no juro pode deteriorar as expectativas do mercado", disse André Simões, gestor de investimentos do Modal Asset.

Com isso, explicou, boa parte dos investidores preferiu apenas girar as carteiras, em vez de assumir posições mais sólidas, seja na compra ou na venda.

Assim, a preferência foi pelas ações mais líquidas, como as de Petrobras e Vale, que responderam por um terço do giro desta quarta-feira. As ações preferenciais da petroleira avançaram 0,36 por cento, a 80,33 reais, enquanto as da mineradora recuaram 0,5 por cento, a 50,95 reais.

No fechamento, o fiel da balança foi a influência dos mercados norte-americanos, que fecharam em alta, refletindo notícias corporativas positivas, de empresas como Wall Mart e Apple. O índice Dow Jones subiu 0,44 por cento.

O movimento trouxe de volta ordens de compra para as ações de algumas siderúrgicas, como os papéis preferenciais da Gerdau, que subiram 2,56 por cento, a 62 reais. As ações preferenciais da Usiminas tiveram ganho de 0,25 por cento, a 107,19 reais.