CCR e OHL caem mais de 5% um dia após leilão de estradas

quarta-feira, 10 de outubro de 2007 12:29 BRT
 

SÃO PAULO, 10 de outubro (Reuters) - Um dia depois do leilão de concessões rodoviárias que licitou 2.600 quilômetros de rodovias federais, papéis do setor registravam forte queda na Bolsa de Valores de São Paulo nesta quarta-feira.

As ações da OHL Brasil OHLB3.SA caíam 7,50 por cento, para 33,30 reais no fim da manhã, com investidores citando incertezas acerca da forma como a empresa administrará o novo investimento. A companhia, subsidiária do grupo espanhol OHL (OHL.MC: Cotações), levou cinco dos sete trechos ofertados no leilão.

"A queda...provavelmente é devido a incerteza em relação ao retorno das concessões, por conta da agressividade das ofertas da empresa", disse a analista Jacqueline Lison da corretora Fator.

A analista disse ainda que o preço-alvo e a recomendação da OHL foram colocados em revisão até a divulgação de premissas de tráfego e investimentos.

O Citigroup também disse que aguarda novos anúncios da empresa para refazer suas projeções.

"A empresa terá que operar essas concessões com eficiência muito maior que o governo esperava para obter valor líquido presente positivo para esses projetos", disse o analista Carlos Albano, do Citigroup.

Na Europa, entretanto, os papéis da OHL subiam cerca de 5 por cento, para perto de 31 euros.

"A notícia foi muito positiva para a OHL, pois supõe que ela mais que dobrará seu negócio no Brasil", disse Gonzalo Moros, analista da Ahorro Corporación.

Outro analista do setor disse na Europa que o negócio no Brasil já ia bem e agora vai melhorar bastante.   Continuação...