Risco dos mercados emergentes sobe e atinge 300 pontos-básicos

segunda-feira, 10 de março de 2008 16:15 BRT
 

Por Walter Brandimarte

NOVA YORK, 10 de março (Reuters) - Os spreads dos títulos soberanos emergentes ultrapassaram os 300 pontos-básicos nesta segunda-feira à medida que rumores sobre problemas de liquidez em empresas de Wall Street aumentaram a aversão dos investidores aos ativos de risco em geral.

As ações latino-americanas também registravam perdas conforme os rumores de problemas de liquidez no Bear Stearns, que foram negados pelo banco de investimento, incentivaram os investidores a procurar abrigo nos relativamente seguros títulos do Tesouro norte-americanos.

Os preços dos Treasuries também subiam com as expectativas de que o Federal Reserve irá cortar agressivamente a taxa de juro novamente neste mês para evitar uma recessão, que parece mais provável após um relatório divulgado na sexta-feira mostrar que o mercado de trabalho nos Estados Unidos teve a sua maior contração desde março 2003.

O indicador de risco dos mercados emergentes subia 9 pontos para 305 pontos-básicos acima dos Treasuries, segundo o índice EMBI+ 11EMJ do JPMorgan. O risco Brasil subia 10 pontos, para 283 pontos-básicos.

Em nota, analistas do Merrill Lynch disseram que os mercados emergentes estão mostrando uma certa resistência, mas que em sua maioria ainda são refêns do ambiente global.

"A tensão nos mercados financeiros sugere a tomada de posições mais conservadoras. Existem muitos problemas não resolvidos lá: a aversão ao risco provavelmente se manterá alta", afirmou o banco, acrescentanto que ainda recomenda bônus de Equador, Peru, Iraque, Tunísia e, agora, Uruguai.

Por outro lado, o Merrill Lynch disse que está reduzindo o peso dos pápeis de Líbano, Costa Rica, Ucrânia e agora na Venezuela.

Os mercados acionários também estavam sob pressão na sexta-feira, com o índice do Morgan Stanley Capital Internacional da América Latina .MILA00000PUS em queda de 3 por cento, devolvendo todos os seus ganhos de 2008.