Iara e Tupi podem elevar em 85% reservas da Petrobras

quarta-feira, 10 de setembro de 2008 21:21 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras estimou nesta quarta-feira entre 3 e 4 bilhões de barris de óleo equivalente as reservas do poço de Iara, no bloco BM-S-11 na bacia de Santos, mesma área exploratória de Tupi, cujas reservas recuperáveis são estimadas entre 5 e 8 bilhões de barris.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que a exploração de Iara "começa em um ano ou dois".

Se comprovadas as reservas em seus níveis máximos, Tupi e Iara elevariam em aproximadamente 85 por cento as jazidas de petróleo provadas da Petrobras, que estavam em 14 bilhões de barris de óleo equivalente ao final de 2007.

"Juntos, os dois campos vão deixar o Brasil com reservas de 26 bilhões de barris", disse Lobão a jornalistas durante a feira Internacional da Amazônia, em Manaus.

Segundo comunicado da estatal, o óleo é de alta qualidade, como o de Tupi, com densidade entre 26 e 30 graus API. Quanto mais perto de 50 graus mais leve é o óleo, segundo padrões internacionais, e maior seu valor comercial.

"Isso confirma que lá realmente é um bilhete premiado, mas ainda falta saber quanto custa para tirar isso de lá", afirmou Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infra-Estrutura. A Petrobras tem realizado seguidas comunicações de descobertas em vários blocos na bacia de Santos, no chamado pré-sal, uma camada ultraprofunda que se estende do litoral do Espírito Santo até Santa Catarina, com 800 quilômetros de comprimento e 200 quilômetros de largura.

Apesar da ampla divulgação de informações sobre a área, Iara é apenas a segunda estimativa de tamanho de reservas de petróleo divulgada até agora. A primeira havia sido Tupi.

Mas ainda existem dúvidas sobre a viabilidade econômica da produção em larga escala desse óleo, devido à profundidade e às especificações geológicas.

A Petrobras comunicou a descoberta de óleo no local chamado de Iara em agosto deste ano, quando informou que seguiria com a perfuração do poço "em busca de objetivos mais profundos".   Continuação...