Custo do setor manufatureiro britânico tem maior alta em 22 anos

segunda-feira, 10 de março de 2008 11:22 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Os custos do setor manufatureiro na Grã-Bretanha estão aumentando mais rapidamente desde que começaram a ser medidos há 22 anos, com a inflação dos produtos nas fábricas mantendo seu maior nível em 16 anos, segundo números divulgados nesta segunda-feira.

Os dados enfatizam o dilema do Banco da Inglaterra de ponderar o risco das pressões sobre o aumento dos preços contra perspectivas deterioradas de crescimento.

O ministro das finanças, Alistair Darling, deve rever para baixo suas previsões de crescimento do PIB este ano em seu primeiro orçamento na quarta-feira.

O presidente do banco central inglês, Mervyn King, já afirmou que este ano parece ser o mais difícil para aqueles que decidem a política econômica desde que a instituição ganhou independência do governo em 1997.

"O Comitê de Política Monetária continuará preocupado com as pressões nos preços de alimentos e energia, particularmente dado o aumento no custo de produção este mês", afirmou Philip Shaw, economista-chefe na Investec.

O Escritório de Estatísticas Nacional afirmou que os preços da produção não ajustados sazonalmente subiram 0,3 por cento em fevereiro, mantendo a taxa anual em 5,7 por cento, o nível mais alto desde julho de 1991.

Ainda que analistas tenham previsto um aumento ainda maior, o fato dos custos de produção terem aumentado ainda mais que o esperado não dará mais folga para aqueles que irão decidir a política econômica.

Os custos de produção subiram 1,7 por cento no mês e 19,3 por cento este ano -- a maior alta desde que os registros iniciados em 1986.