Alcoa declara força maior depois de explosão na Austrália

quarta-feira, 11 de junho de 2008 14:34 BRT
 

SYDNEY/NOVA YORK (Reuters) - A Alcoa declarou força maior em suas operações australianas de alumina, no mais recente desdobramento de uma explosão que cortou fornecimento de gás para uma importante área de mineração da Austrália.

A Alcoa informou que seu lucro do segundo trimestre será dois a três centavos mais baixo, como resultado da declaração de força maior sobre os contratos de fornecimento de alumina, matéria-prima usada na produção de alumínio. As ações da companhia despencaram mais de 6 por cento com a notícia.

A Alcoa da Austrália é 60 por cento controlada pela Alcoa dos Estados Unidos e 40 por cento detida pela Alumina Ltd .

Uma explosão em 3 de junho ocorrida nas instalações Varanus Island, da Apache Energy, no Estado de Western Australia, fechou a produção de gás da Apache, interrompendo fornecimento de energia para a região.

O Estado de Western Australia fornece cerca de um terço do minério de ferro do mundo, 20 por cento do ouro e dezenas de toneladas de cobre, níquel, zinco e outros insumos industriais. A região abriga 1.030 minas em operação, que produzem mais de 50 minerais diferentes.

A Apache informou que vai levar dois meses ou mais para que o suprimento de gás seja restabelecido, disparando uma corrida entre as mineradoras para encontrar fontes alternativas de energia.

A BHP Billiton informou que a falta no suprimento de energia está atingindo suas operações, mas previu baixo impacto sobre seu lucro. A BHP produz quase 3 milhões de toneladas de alumina, 165 mil toneladas de níquel, 100 milhões de toneladas de minério de ferro e outros minerais cuja produção usa gás da Apache.

(Por James Regan em Sydney e Steve James em Nova York)

REUTERS AAJ DL