CONSOLIDA-Déficit comercial dos EUA sobe mais que o previsto

quinta-feira, 11 de setembro de 2008 13:10 BRT
 

Por Doug Palmer

WASHINGTON, 11 de setembro (Reuters) - O déficit comercial dos Estados Unidos aumentou bem mais que o esperado em julho, à medida que a média dos preços do petróleo subiu para o recorde de 124,66 dólares por barril e o volume de importações da commodity foi o maior em quatro anos, mostrou um relatório nesta quinta-feira.

O déficit comercial subiu para 62,2 bilhões de dólares, o maior desde março de 2007 e também superiou ao déficit revisado para cima de 58,84 bilhões de dólares em junho. Analistas previam que o déficit seria de 58 bilhões de dólares, frente ao dado inicialmente informado de 56,8 bilhões de dólares em junho.

Mesmo com o aumento dos preços do petróleo em julho, o volume de importações da commodity subiu 15 por cento, para 342 milhões de barris, maior patamar desde junho de 2004.

As importações totais de petróleo atingiram o recorde de 51,4 bilhões de dólares, ajudando a aumentar as importações gerais de bens e serviços em 3,9 por cento, para a máxima histórica de 230,3 bilhões de dólares.

"O déficit aumentou um pouco, mas está tudo no petróleo. Existe um efeito defasado daqueles aumentos de preço. Nós temos um avanço de 6,3 bilhões de dólares no custo do petróleo e isso vai certamente afetar o déficit comercial", disse Kevin Logan, economista sênior no Dresdner Kleinwort em Nova York.

Outro relatório do Departamento de Trabalho mostrou que os preços de importados caíram 3,7 por cento em agosto, o primeiro declínio desde dezembro, depois que os preços do petróleo caíram 12,8 por cento. A queda dos preços da commodity em agosto foi a maior desde abril de 2003.

Um segundo relatório desse departamento mostrou que o número de pedidos de auxílio-desemprego caiu 6 mil na semana passada. Mas o número de pessoas que recebem o benefício há mais de uma semana subiu em 122 mil, para 3,53 milhões, na semana encerrada em 30 de agosto.

A maioria dos operadores no mercado financeiro ignorou os dados, concentrando-se na discussão sobre o destino do Lehman Brothers LEH.N.

Enquanto isso, as vendas no varejo nos Estados Unidos, excluindo automóveis, aumentaram em agosto, mas os altos preços da gasolina e dos alimentos reduziram os gastos com outros bens e serviços, mostrou um relatório privado.

Refletindo o grande papel que o petróleo está desempenhando na economia, o déficit comercial descontando o petróleo caiu em julho para o menor patamar desde outubro de 2002.