BOVESPA-Efeito Lehman derruba índice; Petrobras amortece perdas

quinta-feira, 11 de setembro de 2008 11:42 BRT
 

SÃO PAULO, 11 de setembro (Reuters) - Os fantasmas da crise financeira nos Estados Unidos voltavam a pressionar a Bolsa de Valores de São Paulo nesta quinta-feira.

Às 11h35, o Ibovespa .BVSP recuava 1,0 por cento, aos 49.136 pontos. O ritmo de negócios era intenso, patrocinando um volume financeiro de 1,3 bilhão de reais na bolsa, acima da média para o horário.

O mote, novamente, era o medo de colapso do Lehman Brothers LEH.N, quarto maior banco de investimento norte-americano, que reacendia o medo de mais desdobramentos da crise de crédito no país. O setor financeiro puxava a queda de 1,1 por cento do índice Dow Jones .DJI.

Diante disso, mesmo notícias positivas do panorama doméstico ficavam em segundo plano, afirmou Carlos Alberto Ribeiro, diretor da Novação Distribuidora.

"Caso os mercados lá foram melhorem, poderemos ter um dia muito positivo aqui, considerando as notícias boas do cenário nacional", disse.

Dentre as boas novas citadas, estão o crescimento brasileiro no segundo trimestre e expectativa de redução no ritmo de aperto monetário, já que a alta de 0,75 ponto percentual da Selic, anunciada na véspera, teve votação apertada entre os diretores do Banco Central.

"Não fosse Petrobras, a queda do Ibovespa seria ainda maior", acrescentou Ribeiro.

As ações da companhia (PETR4.SA: Cotações), carro-chefe da bolsa paulista, apareciam em destaque no índice, avançando 2,6 por cento, para 29,43 reais. A empresa anunciou na quarta-feira à noite ter comprovado reservas recuperáveis de petróleo e gás natural de 3 bilhões a 4 bilhões de barris no poço Iara do bloco BM-S-11, localizado na camada pré-sal da bacia de Santos.

Nesta manhã, o UBS elevou o preço-alvo das ações preferenciais da Petrobras de 65,80 para 67,20 reais.   Continuação...