UBS faz apelo a acionistas por apoio a aumento de capital

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008 08:14 BRST
 

Por Katie Reid

ZURIQUE, 11 de janeiro (Reuters) - O banco suíço UBS UBSN.VX informou que não pode prever o impacto final da crise no mercado imobiliário de alto risco dos Estados Unidos em seus negócios, mas que uma nova injeção de recursos iria reforçar sua posição, ao chamar os acionistas para que apóiem um aumento emergencial de capital.

O UBS fez o apelo a acionistas em uma carta que surge no dia em que o New York Times publicou que o Merrill Lynch MER.N deve sofrer baixa contábil de 15 bilhões de dólares por perdas em investimentos relacionados a hipotecas.

O UBS está se preparando para uma difícil reunião com acionistas em 27 de fevereiro, quando colocará em votação um aumento de capital, resultando na venda de participação de 9 por cento para o governo de Cingapura e de cerca de 1,5 por cento a um investidor do Oriente Médio não-identificado.

O UBS disse que optou por não levantar recursos por meio da emissão de títulos pelos custos envolvidos, possíveis complicações e tempo.

"Durante 2008, o ambiente nos mercados financeiros, especialmente nos Estados Unidos, é incerto, e precisamos gerenciar os negócios nesse período com uma posição financeira fortalecida", afirmou o banco na carta aos acionistas, datada de 10 de janeiro e distribuída à imprensa nesta sexta-feira.

O UBS tem sido uma das maiores vítimas do colapso no mercado imobiliário de alto risco dos EUA, o chamado subprime, que resultou em bilhões de dólares em baixas contábeis por bancos no valor de seus portfólios de títulos.

Em dezembro, o UBS anunciou nova depreciação de 10 bilhões de dólares por exposição ao subprime, depois de ter feito baixa contábil de 4,4 bilhões de dólares por riscos relacionados ao mesmo tipo de ativo anteriormente.

No mês passado, um órgão estatal de investimentos de Cingapura e um invesidor do Oriente Médio injetaram 13 bilhões de francos suíços (11,7 bilhões de dólares) no UBS, ao concordarem em subscrever bônus conversíveis.

(Reportagem adicional de Sam Cage e Thomas Atkins)