China define construção de centro de US$61 mi da União Africana

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008 13:14 BRST
 

ADIS-ABEBA (Reuters) - A China assinou nesta sexta-feira um acordo com a União Africana (UA) para construir um centro de convenções de 61 milhões de dólares na sede da organização, em Adis-Abeba, na Etiópia.

O ministro chinês do Exterior, Yang Jiechi, afirmou que Pequim vai financiar o projeto, com término previsto para 2011, e se comprometeu a ajudar o continente a se desenvolver com suas próprias pernas.

"A China acredita que a integração está entre os principais interesses dos países africanos", disse Yang a repórteres durante uma visita. "A África tem todo o direito de desenvolver seus recursos para se tornar um continente muito mais próspero, e a China está comprometida a ajudar."

Yang, que está visitando a África do Sul, a República Democrática do Congo, o Burundi e a Etiópia, é a última das várias autoridades chinesas que passa pela África em meio ao interesse de Pequim pelos recursos naturais do continente para alimentar sua economia em crescimento.

A China, quarta maior economia do mundo e a segunda maior consumidora de energia, concedeu bilhões em empréstimos atrelados a petróleo e em outras formas de crédito para países africanos, com poucas obrigações associadas --ao contrário de bancos ocidentais e agências internacionais.

A presença crescente da China no continente tem incomodado as nações ocidentais, que dominavam o comércio na região mais pobre do mundo.

(Reportagem de Tsegaye Tadesse)