Lehman vê demanda extra de US$13 bi por bônus brasileiros

quarta-feira, 11 de junho de 2008 16:00 BRT
 

NOVA YORK, 11 de junho (Reuters) - O recente upgrade do Brasil para grau de investimento vai gerar uma demanda adicional de até 13 bilhões de dólares pelo bônus do país, estimou nesta quarta-feira o banco de investimento Lehmam Brothers.

O elevado apetite por ativos brasileiros deve vir dos investidores mais conservadores, que acompanham os índices de títulos com grau de investimento do Lehmam Brothers, segundo Guillermo Mondino, chefe de pesquisa de mercados emergentes no banco.

"O upgrade do Brasil para grau de investimento, dado o tamanho do emissor, cria uma oportunidade interessante", apontou.

Com 25 emissões equivalentes a 49 bilhões de dólares em valor de mercado, o país tornou-se o décimo maior emissor no índice do Lehman, disse Mondino.

Os títulos de dívida externa do Brasil foram admitidos nos índices de grau de investimento do Lehmam em 2 de junho --logo após a Fitch elevar a classificação do país para "BBB-" no final de maio, cerca de um mês depois que a Standard & Poor's fez o mesmo.

O Lehman está recomendando aos investidores aumentar a exposição à dívida soberana do Brasil, comprando títulos de alto spread no meio da curva, como os bônus 2015 BRAGLB15=RR e os A-bonds de 2018 BRAGLB18=RR.

Outra opção, segundo o banco, é comprar títulos de cupom elevado do final da curva, como os de vencimento em 2027 BRAGLB27=RR e 2030 BRAGLB30=RR, com mais chance de serem recomprados pelo governo.

Apesar da recente alta da inflação, o Brasil deve ser capaz de sustentar um crescimento econômico entre 4,0 e 4,5 por cento sem pressões inflacionárias, afirmou Mondino, acrescentando que o país está posicionado para se tornar um grande exportador de petróleo nos próximos anos, rivalizando com a Venezuela.

"A expectativa é de consolidação desse caminho que vimos ser coroado com o grau de investimento."

(Reportagem de Walter Brandimarte)