Demanda de mercados emergentes deve impulsionar venda de PCs

quarta-feira, 11 de junho de 2008 16:35 BRT
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - A crescente demanda por computadores pessoais (PCs) nos mercados emergentes deve impulsionar a produção mundial de computadores este ano, mas a taxa de crescimento se reduzirá nos próximos anos, segundo uma pesquisa apresentada nesta quarta-feira.

Até o fim de 2008, a expectativa é de que 310 milhões de PCs -- incluindo notebooks, computadores de mesa e ultraportáteis avaliados em 286 bilhões de dólares no total -- sejam produzidos no mundo, um crescimento projetado de mais de 15 por cento sobre 2007, segundo a pesquisa Worldwide Quarterly PC Tracker realizada pela IDC, empresa que estuda o setor.

Contudo, o crescimento global cairá da casa dos dois dígitos para cerca de 9,3 por cento, ou 472 milhões de PCs produzidos mundialmente, com valor estimado em 354 bilhões de dólares, em 2012, de acordo com a pesquisa.

O crescimento deve desacelerar à medida em que esses mercados ficam saturados, mas a crescente adoção de PCs portáteis e queda nos preços são alguns dos fatores pelos quais espera-se que o crescimento continue forte nos próximos anos.

A região da Ásia Pacífico, exceto Japão, ultrapassou os Estados Unidos no ano passado como maior mercado mundial de computadores. Até 2012, a região, juntamente com outras áreas emergentes como América Latina, Leste da Europa, África, Oriente Médio e Canadá, serão responsáveis por cerca de 59 por cento do volume global de PCs, acima dos 48 por cento de 2007.

O desaquecimento econômico dos Estados Unidos afetou as vendas comerciais de PCs, fazendo o IDC reduzir sua projeção no curto prazo, afirmou Richard Shim, gerente de pesquisa de computadores pessoais da IDC.

"O mercado consumidor continua relativamente saudável e o mercado geral de computadores irá caminhar em bons níveis", disse ele.

(Reportagem de Anupreeta Das)