Bush diz que resposta russa à Geórgia foi "desproporcional"

segunda-feira, 11 de agosto de 2008 09:57 BRT
 

PEQUIM, 11 de agosto (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse na segunda-feira ao primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, que está muito preocupado com a "resposta desproporcional" que a Rússia deu no conflito com a Geórgia, na região georgiana de Ossétia do Sul.

Bush, em uma entrevista para a NBC Sports, em seu último dia nas Olimpíadas de Pequim, disse que conversou com Putin na sexta-feira e disse a ele que "essa violência é inaceitável" e exigiu que todas as tropas retornem ao "status quo" anterior ao dia 6 de agosto.

"Fui muito firme com Vladimir Putin. Ele e eu temos uma boa relaçaão --assim como fui firme com o presidente russo (Dmitry Medvedev)."

"Eu expressei minha grave preocupação com a resposta desproporcional da Rússia", disse Bush. "Condenamos fortemente os bombardeios fora da Ossétia do Sul."

Bush sugeriu que o conflito na Ossétia do Sul ofuscou a Olimpíada e seus ideais. "Aqui estamos nós, tentando promover a paz e a harmonia e testemunhamos um conflito", disse.

"Esperamos que isso seja resolvido de forma pacífica", afirmou Bush. "Faz-se necessária uma mediação internacional para a questão da Ossétia do Sul."

A Geórgia, aliada dos Estados Unidos, fez à Rússia uma oferta de cessar-fogo e negociações de paz depois de retirar suas tropas da capital da região separatista. Mediadores iniciaram uma missão para dar fim às lutas, que estão sendo condenadas pela comunidade internacional.

Mas ainda há lutas em algumas partes da região localizada no cáucaso. A Geórgia disse na segunda-feira que houve mais bombardeios russos perto de sua capital, Tbilisi.

A Rússia exige a retirada incondicional da Geórgia.

A Casa Branca alertou a Rússia no domingo que o aumento das atividades militares no conflito da Geórgia pode ter "um impacto significativo, de longo prazo" nas relações entre Washington e Moscou.

(Por Matt Spetalnick)